2020: O risco vai compensar?

23 de junho de 2020

A lógica do Nasdaq



Quando ocorre divergência nos índices das bolsas, tende-se a encarar esse fato como uma distorção temporária, causada por algum modismo. Nestes casos, o analista é levado a concluir que o tempo irá corrigir. As vezes esse argumento está correto, alguns fluxos temporários levam a uma distorção. Mas quando é algo que permanece por muito tempo, se faz necessário uma pesquisa mais detalhada, evitando assumir a continuidade quando algo mudou de forma mais definitiva.

O assunto que está criando uma polêmica grande hoje em dia, é a performance do setor de tecnologia, refletido no Nasdaq. Um artigo publicado pelo Wall Street Journal, lista as razões sem explicar o fator financeiro que justifica essa alta.

A divergência no desempenho dos principais índices de ações dos EUA este ano é a mais ampla em mais de uma década.

Uma alta nas principais ações de tecnologia ajudou o Nasdaq a subir 12% em 2020, enquanto o Dow Jones Industrial, de ações de primeira linha, caiu 8,8%, e o S&P 500 está entre eles, com queda de 3,5%.

Uma explicação para a lacuna nos retornos: um punhado de ações de crescimento (Growth) que subiram este ano tem uma influência enorme no Nasdaq e no S&P 500. Apple, Microsoft, Amazon, Alphabet e Facebook, representam juntos cerca de 40% do Nasdaq e 20% do S&P. Dessas ações, apenas Apple e Microsoft estão no Dow.

As disparidades aumentam os desafios enfrentados pelos investidores que estão tentando entender uma vertiginosa extensão de volatilidade nos mercados. A avaliação das ações tornou-se cada vez mais difícil depois que a pandemia de coronavírus interrompeu a economia e as empresas, da Caterpillar ao McDonald's e do PayPal, retirou suas previsões de resultados.

Embora os dados econômicos tenham melhorado nas últimas semanas, muitos investidores dizem esperar que a recuperação permaneça desigual e estão se preparando para mais turbulências à frente, à medida que a temporada de eleições presidenciais se aproxima.

O gráfico a seguir aponta para a disparidades entre segmentos da economia americana, desde a eclosão da Covid. As ações foram classificadas entre: going out – empresas cujo consumo se dá fora de casa, staying in – aquelas cujo consumo se dá dentro de casa, Industrial and Materials e Trasnportation.


"Você realmente precisa triangular entre os três índices diferentes", disse Susan Schmidt, diretora de ações dos EUA da Aviva Investors. "Você não pode depender de nenhum índice no momento, realmente precisa considerar os três e saber o que há neles. "

O S&P 500 tem sido considerado o indicador mais amplo, respondendo por cerca de 80% da capitalização de mercado disponível nos EUA. O Dow, por outro lado, compreende apenas 30 ações - muitas das quais são economicamente sensíveis - e é ponderada pelo preço, e não pelo valor de mercado. E o Nasdaq é geralmente considerado um benchmark de tecnologia, composto por aproximadamente 2.700 ações listadas na Nasdaq Stock Market. Na ilustração a seguir, está expresso o peso de cada setor econômico no índice de cada um.


As práticas de ficar em casa adotadas para ajudar a retardar a propagação do vírus aceleraram as tendências digitais que beneficiaram muitas ações grandes de tecnologia. As ações da Apple, Microsoft, Amazon, Alphabet e Facebook subiram este ano, lideradas pelo avanço de 47% da Amazon.

Outras indústrias não acompanharam. Os três setores do S&P 500 que contêm essas ações: tecnologia da informação para Microsoft e Apple; consumidor discricionário para a Amazon; e serviços de comunicação para Alphabet e Facebook - são os únicos grupos em território positivo para o ano. Os segmentos de energia, financeiro, industrial e de serviços públicos caíram dois dígitos.

As explicações passam a ser o obvio, calculando a performance de cada setor, dentro de cada índice, e concluindo que as ações de tecnologia são as grandes responsáveis por essa diferença. Mas o que não é respondido é se existe algum motivo econômico para essa diferença.

Encontrei, que as informações contidas em 2 gráficos, respondem ao principal motivo dessas diferenças. Primeiro, e mais importante, é que esse processo não começou agora, segundo não é somente entre os índices americanos que existe o descolamento. No gráfico a seguir, notem a performance do índice amplo americano MSCI USA comparado com um índice global MSCI EAFE. Desde 2010, a bolsa americana apresenta essa supremacia.


Mas qual seria o motivo? O lucro das empresas de tecnologia vem crescendo de forma exponencial, enquanto o lucro mundial das outras empresas está basicamente estragando. Isso explica a maioria das distorções da performance entre tecnologia e o resto da economia. Não se deveria ficar tão surpreso assim com a disparidade entre os índices, embora não se possa afirmar que as ações de tecnologia estão baratas, mas é nesse segmento onde o lucro cresce.


No post  quem-quer-dinheiro, fiz os seguintes comentários sobre o SP500: ... “ esse é um trade de curto prazo, contra a tendência de alta de longo prazo. Esse é o cenário benigno que estou trabalhando, compatível com essa liquidez estupidamente elevada” ...

Existe um trade em aberto a 3.175. Depois de várias tentativas de queda, o índice encontra-se próximo das máximas.

Confesso que fiquei em dúvida se deveria manter esse trade ou cancelar antes que seja executado. Para que o leitor entenda, esse nível associado à venda em 3.175, corresponde a um patamar que indica ser baixa probabilidade de reverter, embora seja possível. O mais provável deveria ocorrer entre 3.100 – 3.130. Sua manutenção implica operar em situações extremas, contra o movimento de médio prazo, mas que tem um baixo risco de perda vis-à-vis o stoploss.

Mas tem outro inconveniente caso o stoploss seja acionado. Nesse caso, ultrapassando o nível de 3.235, seria desejável entrar com um trade de compra.

Eu Poderia dar um call duplo, significando que além de zerar o trade de venda se inicie um novo de compra – compra dobrada. Mas este tipo de ação é para profissionais e de difícil aceitação por parte dos leitores, razão pela qual tento evitar, pois é possível perder nos dois trades, bastando que o rompimento seja um false break. Acho que vocês me matariam!

Depois de toda essa reflexão, vou cancelar o trade, e ao invés de deixá-lo no automático vou agir conforme a evolução dos preços no curto prazo. Sendo assim, podem esperar uma operação de venda ou de compra brevemente. Agora, por favor, não mostre esse post para um investidor fundamentalista, vai dizer que eu sou louco!

O SP500 fechou a 1.131, com alta de 0,43%; o USDBRL a R$ 5,1603, com baixa de 1,76%; o EURUSD a 1,1304, com alta de 0,41%; e o ouro a U$ 1.768, com alta de 0,78%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário