2020: O risco vai compensar?

15 de julho de 2020

Carregando nas costas



Enquanto o mundo coça a cabeça para saber qual será o estrago provocado pelo Covid-19, a China está seguindo seu caminho de crescimento que perdurou nas últimas décadas. Como consequência, os investidores globais estão apostando em alta nos preços do cobre, desencadeando a recuperação mais rápida do metal industrial em anos e sinalizando que muitos investidores continuam esperançosos quanto às perspectivas econômicas.


Com os investidores colocando dinheiro em ativos que tiveram bom desempenho recentemente, os contratos futuros de cobre subiram em 12 sessões consecutivas para US $ 2,94 a libra-peso, seu nível mais alto desde abril de 2019. Essa série de vitórias foi a mais longa do metal desde o final de 2017, quando uma perspectiva otimista para a economia mundial e um ritmo otimista elevaram os preços.


Como o cobre é amplamente usado no setor manufatureiro global e essencial para fazer tudo, de smartphones a residências, muitos observadores de mercado usam seu preço como um indicador econômico. O metal está intimamente ligado ao crescimento na China, em particular. A segunda maior economia do mundo consome aproximadamente metade do cobre do mundo, e dados recentes indicam uma recuperação de crescimento lá mais forte do que muitos analistas previam depois que o coronavírus interrompeu a fabricação chinesa no início de 2020.


A performance de 38% no cobre desde março é parte de um alta mais ampla de ativos voláteis, à medida que investidores e especuladores individuais de todo o mundo tentam aproveitar o momento. O índice de ações da Shanghai Composite atingiu recentemente uma alta de quase dois anos e meio, enquanto o Nasdaq Composite, carregado de tecnologia, subiu para novos recordes nos últimos dias.

Os ganhos em investimentos populares como a fabricante de carros elétricos Tesla têm sido particularmente impressionantes ultimamente, ressaltando uma ampla manifestação que está deixando os céticos paralisados.


Os fundos de hedge e outros investidores especulativos aumentaram as apostas líquidas nos preços mais altos do cobre em três semanas. O cobre não é o único metal que apresenta um sinal de alta para a economia. Os traders também têm elevado os preços de outras matérias-primas, como alumínio e estanho, nas últimas semanas.

A China fez seu trabalho de combate ao vírus muito melhor do que qualquer país Ocidental, é verdade que, possui meios de execução mais “convincentes” que os outros. Mas está colhendo os frutos de sua ação firme no combate ao Covid-19. O interessante é que enquanto a volta da infecção está ocorrendo de forma generalizada no restante dos países no lado Ocidental, nada se ouve falar na China.


Do jeito que as coisas andam, com o PIB americano andando para trás e o da China para frente, não vai demorar muito para esse último país se tornar a primeira economia do mundo. Para ser considerada como a potência número 1, ainda falta algo muito importante, o Yuan ser uma moeda de troca Universal, e como o gráfico abaixo mostra, falta muito ainda.


Mas os chineses têm um trunfo em suas mãos, caso a moeda americana entre num movimento de queda mais acentuado. Para empurrar o dólar ladeira abaixo, nessas condições, bastaria os chineses venderem com vontade os títulos americanos que possuem, cujo valor é da ordem de U$ 1,0 trilhão.

Por enquanto, a China carrega o mundo nas costas!

No post cumprindo-tabela, fiz os seguintes comentários sobre o Ibovespa: ... “ No gráfico apontei dois intervalos como objetivo para esse movimento de alta. O primeiro ao entre 107 mil e 109 mil, e o seguinte entre 118 mil e 119 mil” ... O triangulo formado foi rompido no nível de 97.5 mil, acionando nosso trade de compra. A bolsa caminha agora para o primeiro nível conforme apontado acima.


Eu havia comentado que caso a bolsa ultrapassasse o último patamar acima, indicando máximas históricas, poderíamos esperar novos horizontes. Na minha análise notei que diversos estágios deveriam ocorrer para que a situação acima se concretizasse. Veja o gráfico a seguir com janela semanal.


Vamos segregar por estágios: 1) - Compreende desde a mínima de 60 mil até estar completo numa região anotado em amarelo, em acordo com os níveis acima. Terminado essa fase iniciaria o próximo; 2) - um movimento de queda a partir desse ponto levaria o Ibovespa para algo entre 90 mil e 85 mil, que quando terminado daria continuidade ao próximo; 3) – Um novo movimento de alta iniciaria que levaria a bolsa a 139 mil ou 156 mil.

Mas existe uma condição fundamental para que todo esse raciocínio ocorra: No estágio 2, a bolsa não deveria retroceder abaixo de 79 mil, pois caso isso aconteça, aumentam as chances de novas mínimas ao invés de novas máximas.

 - David, pensei que com esse software novo você acabaria com essa mania de que se não subir pode cair!
Meu amigo, o software não faz milagres nem tão pouco tem uma bola de cristal. Pensei que depois de tanto tempo você tinha se acostumado com essas colocações! Mas para te deixar mais calmo, vamos nos concentrar no curto prazo, e se essa alta se concretizar veremos o que acontece na sequência.

O SP500 fechou a 3.226, com alta de 0,91%; o USDBRL a R$ 5,3782, com alta de 0,20%; o EURUSD a 1,1410, com alta de 0,15%; e o ouro a U$ 1.811, com alta de 0,20%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário