2020: O risco vai compensar?

30 de julho de 2019

High Gear



Amanhã é um dia importante para os mercados financeiros, tanto extremante como aqui no Brasil. Em relação ao Fed, existem dois elementos igualmente importantes: primeiro qual será o nível de redução dos juros, se 0,25% ou 0,50%, segundo, se a autoridade monetária indicara a intenção de novos cortes. Localmente, parece que existe um consenso que o BCB deveria baixar 0,50%, mas pode ser que, seu conservadorismo o leve a um corte de 0,25%.

Em relação ao Fed a opinião está dívida, alguns analistas consideram até desnecessário esse corte, dada as condições da economia americana. Porém, a grande maioria acredita que é fundamental que a autoridade monetária aja de forma firme. Na opinião deles, existe o risco da economia americana, por estar no final de ciclo, entrar numa recessão mais profunda mais à frente.

O dia de hoje deve servir para os investidores terminarem de se posicionar segundo suas expectativas. Sendo assim, não se espera grandes movimentos, bem como, o que acontece hoje, é de pouca serventia para alguma tendência futura.

Sendo assim, queria trazer um assunto que, embora aparentemente não tenha relação com finanças, pode ser bastante útil no equilíbrio emocional, com provável impacto na tomada de decisão.

É sabido que, investir requer algumas habilidades, dentre elas o conhecimento de economia e finanças. Porém, o comportamento humano pode tornar um investimento bom em ruim e vice-versa. O conhecimento emocional de cada indivíduo é importante para a definição do tipo de portfólio que mais se adequa.

Sendo assim, cuidar da saúde física ajuda em muito em manter as emoções sobre controle.

Eu pratico esportes de forma regular nos últimos 20 anos, antes disso era bastante sedentário. Passei por várias fases, até que o ciclismo me atraiu. Não que eu queria ser um atleta como alguns amigos aficionados. Eles buscam uma melhoria de eficiência constante, e eu busco praticar atividade física com empenho e entretenimento.

Aqui em São Paulo, depois de algumas tentativas no passado, abandonei essa prática. A violência, bem como o desrespeito dos motoristas aos ciclistas, foram os principais motivos. Agora só pratico quando viajo.

Há três anos, minha enteada me levou para conhecer uma aula de spinning. Gostei de cara!

A minha experiência na Velocity foi evolutiva, no começo me sentia um pouco deslocado, num ambiente predominante de jovens, imaginava o que esse pessoal pensava de mim “ o que esse vovô está fazendo aqui! ” Num desses dias, dado minha cabeça voltada aos números, cheguei a uma conclusão: A minha idade era superior a idade dos participantes da aula, somados dois a dois, com 90% de probabilidade. Acho que minha estatística continua válida.


Logo consegui atrair minha esposa, que diga se de passagem, é uma excepcional companheira. Comecei frequentando duas vezes por semana, depois três, e agora são quatro. Esse negócio vicia.


Vou confessar, escolho a bike que chamo de“ roubada” pois favorece na contagem. Quando no final da aula é projetada a classificação geral, fico bem na foto. Assim, os jovens devem pensar: “ o vovô não está tão mal assim! ” Hahaha ...

Mas é inegável minha evolução, no começo sentia dificuldade nas primeiras músicas agora aguento tranquilamente a aula inteira. Esse pequeno vídeo anexado é uma amostra de como transcorre uma secção. Ultimamente tenho frequentado as aulas do Kaio Bueno. Espetacular, um jovem que realiza suas aulas com muita motivação, além de conhecer profundamente música, tornando as aulas sempre diferentes entre si. Não é à toa que ficam lotadas e sempre com lista de espera


Eu recomendo alguma atividade física a quem está no mundo financeiro, na verdade, para qualquer profissão, mas em especial aos traders. O spinning é fantástico, basta ver como você entra na sala e como sai. High Gear!

No post o-fed-vai-titubear, externei minha dúvida quanto a continuidade da alta no Ibovespa, em atingir o nível de 109.000.  No post fiz os seguintes comentários: ... “A marcação em amarelo indica a possibilidade de mudança de direção citada acima. Conforme destaquei no gráfico, quando o nível de fechamento é igual a abertura, numa tendência que estava em alta, pode indicar que o movimento se exauriu, ou está no caminho de” ... ... “Outro fator importante é o termino de uma sequência de movimentos de alta, frisados em azul. Sendo assim, a correção deveria acontecer num espaço de algumas semanas. Esse prazo, dependo do formato que se configurar, teria dois objetivos mais prováveis: o primeiro ao redor de 93.000 (queda de ~10%), e caso não se sustente, em 85.000 (queda de 18%)” ...


Outro dia recebi um relatório do Banco Itaú. O teor é muito, muito mesmo, otimista com a bolsa brasileira. Seu principal argumento é que, a queda de taxa de juros veio para ficar (leem o Mosca? Hahaha ...), e que isso afetaria os balanços das empresas aumentando seus lucros, acarretando um P/L mais elevado. Do lado dos investidores, esperam uma migração enorme da renda fixa para a bolsa. Pelos seus cálculos esse montante poderia chegar a R$ 600 bilhões! Not bad!

Como contrapartida, acreditam que é de menor importância o fluxo de recursos dos estrangeiros, afinal, estaríamos falando de U$ 150 bilhões dos locais, é muito dinheiro! Mas esse número é irrealista? Não acho, seria até conservador, pois consideram que apenas 10% dos recursos migrariam do estoque de aplicações em renda fixa. Só falta uma condição importante, é que nada de grave aconteça no exterior, pois pior do que receber 5% a.a. na renda fixa, e receber um retorno negativo na bolsa.

O Mosca também tem um viés positivo para bolsa brasileira no longo prazo. Mas como mencionei, estou um pouco desconfiado no curto prazo, mesmo assim continuamos comprado com stoploss curto.


No gráfico acima de curto prazo, marquei o intervalo até onde essa pequena queda deveria reverter o curso, visando o objetivo de 109.000. Abaixo desse nível, ao redor de 100.000, vou ficar mais propenso a acreditar que a correção mais extensa notada acima poderá acontecer.

Nos últimos dias a bolsa tem se mantido num intervalo bastante contido, fruto do fluxo de investidores locais que estão sendo aconselhados pelos bancos a migrarem para as ações. Já em relação aos estrangeiros, se observa um movimento inverso de saída. Como não posso adivinhar quem vai predominar no curto prazo, observo os gráficos para definir nossas ações.

O SP500 fechou a 3.013, com queda de 0,26%; o USDBRL a R$ 3,7903, com alta de 0,24%; o EURUSD a 1,1154, sem alteração; e o ouro a U$ 1.430, com alta de 0,27%.

Fique ligado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário